Top 10 do Oscar literário 2016


E o Oscar foi para... “Os livros”

Domingo dia 28 de fevereiro, aconteceu a 88ª edição dos Academy Awards, ou Oscars. Onde 10 livros deram um brilho especial ao Oscar 2016. Os filmes foram adaptados de livros ou inspirados por livros. Dos 8 filmes indicados a Melhor Filme, 6 são livros. Entre os indicados na categoria Roteiro Adaptado tivemos 5 candidatos e os demais em outras categorias. 

 Vamos conhecer um pouco essas preciosidades? Já até comentamos sobre alguns aqui no blog.


“Quarto” (Verus) de Emma Donoghue, deu origem ao filme que foi indicado em quatro categorias, sendo elas as mais importantes: Melhor Filme, Diretor, Atriz e Roteiro Adaptado,e faturou uma estatueta com Melhor Atriz (Brie Larson).

“Quarto de Jack” é uma história moderna sobre o amor sem limites entre mãe e filho. O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.


"O regresso" (Intrínseca), dirigido por Alejandro González Iñárritu. O filme foi indicado em não menos que 12 categorias! Inspirado em fatos reais, conta a história do explorador e caçador de peles Hugh Glass (Leonardo DiCaprio). Ele é atacado por um urso e fica gravemente ferido. Dois homens são encarregados de cuidar dele, mas, como acreditavam que ele morreria logo, resolvem abandoná-lo. Entretanto, Glass sobrevive e inicia uma jornada em busca de vingança. O filme de Alejandro González Iñárritu é baseado em parte no romance de Michael Punke .


"A garota dinamarquesa" (Rocco), do diretor Tom Hooper, é baseado no livro do escritor David Ebershoff e mostra a história da transformação de Einar em Lili e seu casamento com a também pintora Gerda Wegener (Alicia Vikander). O filme não foi nomeado no Roteiro Adaptado, no entanto, levou quatro indicações, melhor ator (Redmayne), atriz coadjuvante (onde Alicia Vikander ganhou), figurino e direção de arte.

Nascida na Dinamarca com o nome de registro de Einar Mogens Wegener (1882-1931), a pintora Lili Elbe foi a primeira pessoa a se submeter a uma cirurgia de redesignação sexual. Lili Elbe é considerada a primeira mulher a realizar o procedimento cirúrgico de mudança de sexo, no ano de 1931. Elbe nasceu intersexual, com características masculinas e femininas, mas lhe foi atribuído o sexo masculino ao nascimento, e foi criada dessa forma. Seu antigo nome era Einar Wegener e até chegou a se casar antes da cirurgia. Essa história real inspirou David Ebershoff a escrever “A Garota Dinamarquesa”. 

“Perdido em Marte” (Arqueiro), recebeu sete indicações, Melhor Filme, Ator (Matt Damon), Roteiro Adaptado, Mixagem de Som, Edição de som, Efeitos visuais e Desenho de produção, mas não ganhou em nenhuma categoria.

O manuscrito do autor Andy Weir foi recusado por várias editoras, após isso, o autor decidiu então publicar a obra na internet de graça. O livro logo atingiu o topo da lista de mais vendidos da Amazon, o que despertou o interesse de uma editora, que finalmente decidiu lançar uma versão em papel. A obra escrita é tão ou até mais divertida que o longa. O protagonista, vivido por Matt Damon no cinema, faz o que pode, em um esquema de ciência maluca, para sobreviver no planeta vermelho. São poucas as diferenças entre livro e filme. Porém, a produção cinematográfica perdeu um pouco da acidez da história original, especialmente de algumas piadas em tom sexual, além de uma importante trajetória do personagem que acabou de fora provavelmente por falta de espaço. 


“Brooklyn” (Companhia das letras), do romancista irlandês Colm Tóibín. O filme dirigido por John Crowley foi nomeado para Melhor Filme e a atriz Saoirse Ronan teve uma nomeação para Melhor Atriz, mas saiu da cerimônia de mãos vazias.

Um romance que se passa no Brooklyn e na Irlanda no início de 1950 sobre uma jovem dividida entre sua família na Irlanda e no americano que ganha seu coração. Eilis Lacey veio de idade em uma pequena cidade da Irlanda nos anos seguintes à Segunda Guerra Mundial.Embora hábil em contabilidade, Eilis não consegue encontrar um bom trabalho na economia irlandesa miserável. Quando um padre irlandês de Brooklyn visita o lar e se oferece para patrocinar Eilis na América - para viver e trabalhar em um bairro Brooklyn "apenas como a Irlanda" - ela percebe que deve ir, deixando sua mãe frágil e irmã para trás.


"Carol" (L&PM Pocket). No total, o longa somou seis indicações, incluindo Melhor Atriz por Cate Blanchett e Rooney Mara de Atriz coadjuvante, porém não faturou em nenhuma categoria.
É baseado no famoso romance de Patricia Highsmith. Quando a escritora lançou “Carol” - cujo título original é “O preço do sal” – em 1952, ela se utilizou do pseudônimo Claire Morgan, devido à temática homossexual da história. A autora só colocou o próprio nome na obra na década de 1990. O livro foi o primeiro romance a abordar uma relação amorosa entre mulheres com um final feliz. Na história, Therese Belivet trabalha como vendedora em uma loja de departamentos, em meio a tantos rostos desconhecidos, ela fica hipnotizada ao ver uma cliente, Carol, e as duas logo começam um repentino romance. A adaptação cinematográfica é um romance cheio de clichês, mas que ganha destaque pelas ótimas interpretações de Cate Blanchett e Rooney Mara. 


Baseado no livro “Trumbo” (Intrínseca) do jornalista Bruce Cook, "Trumbo: Lista negra", dirigido por Jay Roach, conta a história de Dalton Trumbo (Bryan Cranston), um dos principais roteiristas de Hollywood, que foi preso nos anos 1950 por se negar a delatar seus amigos como comunistas. O filme foca essa fase da vida de Trumbo, em que ele teve que adotar pseudônimos para continuar trabalhando em Hollywood. Seus roteiros de "A princesa e o plebeu" (1953) e "Arenas sangrentas" (1956), feitos na clandestinidade, venceram dois prêmios Oscar, que só lhe seriam entregues anos depois. 

"A grande aposta", do diretor Adam McKay, é baseado no livro "A jogada do século" (Best Business), de Michael Lewis. Steve Carell, Ryan Gosling, Christian Bale e Brad Pitt são investidores que previram o comportamento dos norte-americanos que conduziu à catástrofe financeira em 2008. Bale, que interpreta o investidor Michael Burry, pediu para que ele lhe enviasse algumas de suas próprias roupas, e usou sandálias semelhantes as dele (ou ficou descalço mesmo). Foi indicado como Melhor Filme, porém não ganhou. No entanto, ganhou como Melhor Roteiro Adaptado.


"Uma ponte entre espiões" (Record), dirigido por Steven Spielberg, redeu ao ator Mark Rylance o Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. O filme é baseado em um caso real envolvendo uma troca de espiões prisioneiros entre os EUA e a URSS, durante a Guerra Fria. O advogado James B. Donovan (Tom Hanks), que foi quem organizou a operação, e é o protagonista do longa, escreveu um livro - intitulado “Uma ponte entre espiões” - sobre o episódio. Porém, o filme dirigido por Spielberg não é baseado exclusivamente neste relato. Os roteiristas Joel e Ethan Coen usaram as memórias de Donovan, e um outro livro – intitulado Bridge of Spies em inglês – que fala sobre a troca de espiões entre as duas nações na guerra, além de uma pesquisa histórica, para criarem uma trama exclusiva para as telonas. Ponte dos Espiões concorreu na categoria de melhor roteiro original. A produção também foi indicada para os prêmios de melhor filme, trilha sonora, direção de arte e mixagem de som. 


Baseado no livro de Walter Isaacson, "Steve Jobs" (Companhia das letras), dirigido por Danny Boyle, teve Michael Fassbender foi nomeado para Melhor Actor. Kate Winslet recebeu uma nomeação para Melhor Atriz Coadjuvante, mas nenhum levou a estatueta para casa. O filme tem como foco três momentos cruciais na carreira de Jobs, que morreu em 2011: os lançamentos de um computador Macintosh (1984); outro da NeXT, então nova empresa de Jobs (1988); e a chegada do iMac G3 (1998).
A relação conturbada com a filha Lisa (que ele disse não ser pai, no começo) e a mãe da garota ganha bastante espaço, assim como o jeito rude com o qual o empresário trata seus colegas. Joanna Hoffman, diretora de marketing da Apple, é interpretada por Kate Winslet. 



O grande vencedor da noite - bem que poderia ser um livro, mas foi uma série de reportagens investigativas publicadas no jornal The Boston Globe - foi "Spotlight: Segredos revelados", do diretor Thomas McCarthy, levou o grande prêmio de Melhor Filme e Melhor Roteiro Original. Os atores Rachel McAdams, Mark Ruffalo, Michael Keaton e Brian d'Arcy James interpretam um grupo de jornalistas que reuniu milhares de documentos capazes de provar vários casos de abuso de crianças por cerca de 250 padres católicos em Boston. Líderes religiosos ocultaram a história durante anos, transferindo os padres de região.

Esperamos que em 2017 tenhamos novamente uma grande lista de bons livros chegando à telona. E qual livro ou filme você mais gostou?

Postagens Relacionadas
Anterior
« Anterior
Proxima
Proxima »

1 comentários

29 de fevereiro de 2016 14:49

Adorei. Já Já o thriller de O Regresso e aparece ótimo.

Reply
avatar