Entrevista com a personagem Macabéa

Entrevista com Personagens Literários
Raio X – Macabéa  

Nome: Macabéa  Moreira
Idade: 19 anos 
Profissão: Datilógrafa 
Formação: Estudou até o terceiro ano do primário. 

Curiosidades: 
- Engole sempre aspirinas sem água, a seco, para ‘não se doer’.  
- É calada (por não ter o que dizer) mas gosta de ruídos. 
- Aprendeu que comer ovo faz mal para o fígado e sempre que come sente fortes dores no lado esquerdo oposto ao fígado.  
Fan art de Heitor Pc

Primeira entrevista com Macabéa

O Canal Kibook entrevistou a jovem alagoana, Macabéa (personagem do livro “A hora da estrela” de Clarice Lispector). Ela chegou com um vestido de chita e enquanto fazíamos as perguntas se deliciava com um cachorro-quente. Uma moça doce e obediente, que não gosta muito de tomar banho, revelou seus segredos para o Kibook. 

Kibook: Você parece bastante faminta. Sempre teve esse apetite todo? 
Macabéa: Sempre tive fome, mas não tinha o que comer. Até o cachorro do Rodrigo tinha mais comida do que eu. 

Sua infância parece ter sido bem difícil. Como se virou sem os seus pais? Eles morreram quando eu tinha dois anos, morreram de febre. Após isso fui para Maceió com minha tia, ela era minha única parente no mundo. 

Ela era boa com você? Nada! Ela me dava muitos cascudos com os nós dos dedos na minha frágil cabeça e ainda me privava da sobremesa favorita: goiabada com queixo. Era o castigo predileto da minha tia. 

Porque você tem uma coleção de recortes de anúncios de jornais e o por que o do creme de pele é tão especial? É o meu pequeno prazer poder fazer os recortes e o do creme é precioso, por que mostra em cores o pote aberto e eu ficava imaginando que delícia seria. O creme era tão apetitoso, que se eu tivesse dinheiro comeria às colheradas. 

Parece que você é uma comilona, mas você ainda tem dificuldade de comer?  Sim. É um trauma que veio desde pequena, quando soube que havia comido um gato frito, isso me traumatizou para sempre. 

Você gosta de ser magra? Não. Queria ser gorda. Uma vez em Maceió, ouvi um rapaz dizer para uma gorda que passava na rua: “a tua gordura é formosura”. Então sempre quis ter carne, até pedi para minha tia que comprasse óleo de fígado de bacalhau, porém ela disse que era luxo demais. 

Quando chegou ao Rio de Janeiro, foi difícil achar um emprego? Não muito. Ser Datilógrafa me deu dignidade. Eu não sabia digitar, eu catava letra por letra, mas minha tia me deu o curso de “bater máquina” antes de morrer. E fui morar num quarto compartilhado com mais quatro moças balconistas das Lojas Americanas. 
Fan art de Heitor Pc
O que representa o dia 7 de maio? Foi um dia que resolvi mentir para o meu chefe que ia extrair um dente e quando as minhas quatro colegas, as Marias, foram trabalhar eu pude experimentar a maravilha de ficar só pela primeira vez e dancei, me senti livre e este dia me despertou. 

O que você gosta de fazer nas suas folgas? Ouvir a Rádio Relógio, ela informa a hora certa, cultura e anúncios. Eu não sei o que quer dizer cultura, mas gosto de ouvir palavras difíceis. Muitas nunca saberei o significado, como: conde, renda per capita e “élgebra”. 

Quando Olímpico comentou que você era igual a um cabelo na sopa e que não dá vontade de comer, você não ficou arrasada? Não, não. Só queria ir embora e ouvir o adeus dele, mas eu comecei a rir sem parar, eu não lembrei de chorar. 

Qual sua música favorita? Una furtiva lácrima de Caruso, mas o homem da rádio fala errado, é lágrima

Tem algum livro favorito? Queria ler Humilhados e ofendidos, livro que meu chefe lia. 

Você tem algum sonho? Ter um animal, porém minha tia nunca deixou, achava que era uma boca a mais e ser parecida com a Marylin. 

...Mas quando você foi ao zoológico teve medo dos animais? Ah, eu tive medo realmente. Quando vi aquela massa preta e roliça do rinoceronte que se movia lentamente, tive tanto medo que me mijei toda. Depois menti para o Olímpico dizendo que sentei num banco molhado. 

Um luxo? Ir uma vez por mês ao cinema e pintar as unhas de vermelho, porém eu logo roo e fica aparecendo o sujo da unha. 

Porque você gosta tanto de filmes de terror? Gosto de ver mulher enforcada ou com tiro no coração 

Você é uma pessoa otimista? Não me preocupo com o futuro, pois ele é luxo. Eu me sentia perdida até o dia que ouvi na Rádio Relógio que há sete bilhões de pessoas no mundo, ou seja muita gente para me ajudar. 


 Um vídeo formidável do desenhista Heitor Pc


Quer conhecer mais sobre a peculiar Macabéa e sua simplicidade espantosa? Então leia o livro onde ela é a estrela: "A hora da estrela" de Clarice Lispector, 88 páginas, Rocco.


Os desenhos que ilustram essa entrevista é do artista Heitor Pc, 
confira outros trabalhos dele clicando aqui.

Postagens Relacionadas
Anterior
« Anterior
Proxima
Proxima »

1 comentários

16 de fevereiro de 2016 12:23

Tão bom apreciar a obra por uma outra forma. Li ele recentemente e nem tenho palavras para descrever o quanto esse livro mexeu comigo. Clarice escreve de tal forma que não tem como não se maravilhar.
Beijos

Reply
avatar